Cirurgia Bariátrica

O que é Cirurgia Bariátrica?

A cirurgia bariátrica ou cirurgia de obesidade é um procedimento médico que trata, de forma bastante efetiva, a obesidade. Além disso, como consequência, ela também trata várias doenças relacionadas ao excesso de peso, como:

  • Hipertensão;
  • Diabetes tipo 2;
  • Dislipidemias;
  • Doença do refluxo gastroesofágico;
  • Problemas articulares;
  • Apneia do sono, entre outras.

Mas agora, vamos entender mais a fundo o que é obesidade.

O Que É Obesidade?

A obesidade é caracterizada pelo excesso de gordura corporal, sendo uma desordem metabólica e/ou nutricional, muitas vezes, crônica. Ela, que é considerada, atualmente, como uma epidemia mundial e apresenta sérias consequências para a saúde.

Está relacionada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, hipertensão arterial sistêmica, dislipidemia (colesterol e/ou triglicerídeos elevados), diabetes mellitus tipo 2, distúrbios articulares, alguns tipos de câncer, distúrbios respiratórios, distúrbios psicológicos, infertilidade masculina e feminina, etc.

Dentre os diversos graus de obesidade, os portadores da obesidade mórbida (formas severas da doença), que é diagnosticada quando o IMC (índice de massa corporal) do paciente se encontra acima de 40 Kg/m2, são aqueles que, frequentemente, falham na tentativa de perda de peso em longo prazo, através de dietas, atividades físicas, mudanças de hábitos de vida, etc.

Porém, os casos de obesidade mórbida, quando tratados através da cirurgia bariátrica, alcançam redução importante do peso e remissão ou controle das principais comorbidades.

Isto costuma reduzir significativamente as taxas de mortalidade se comparado àqueles que não alcançaram, por métodos convencionais, a perda de peso necessária para sair do quadro de obesidade mórbida.

Obesidade Grau II: por que a necessidade de intervenção cirúrgica?

Além da obesidade mórbida (Grau III), a obesidade moderada (Grau II) também está entre os estágios mais preocupantes. É o caso da pessoa que não chegou à morbidez (IMC > 40 Kg/m2), mas que está frequentemente lutando contra o próprio peso e sentindo como se estivesse presa em um ciclo de emagrecer e engordar novamente, mantendo IMC entre 35 e 39,9 Kg/m2.

Este grupo de pacientes apresenta indicação cirúrgica quando desenvolvem problemas de saúde relacionados à obesidade ou agravadas por ela, como hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus tipo 2, dislipidemias, doença do refluxo gastroesofágico, apneia do sono, problemas articulares, etc.

Normalmente, são pacientes que já tentaram várias dietas e até conseguem algum resultado, porém, logo em seguida, o peso volta a aumentar.

Há mais de uma década, o NIH (National Institutes of Health / Instituto Nacional de Saúde) que pertence ao governo americano, divulgou que indivíduos afetados pela obesidade são resistentes à manutenção da perda de peso alcançada por métodos convencionais como consumir menos calorias e praticar exercício físico regularmente.

A mesma agência também já reconheceu a cirurgia bariátrica como o único tratamento eficaz para combater a obesidade severa e manter a perda de peso em longo prazo.

Obesidade Grau I: quais pacientes tem indicação cirúrgica?

Pacientes com obesidade de grau I (IMC entre 30 e 34,5 Kg/m2) tem indicação de tratamento cirúrgico quando apresentam Diabetes Mellitus tipo 2, de difícil controle clínico apesar de tratamento otimizado com controle dietético e uso de medicamentos (hipoglicemiantes orais e/ou insulina), ou sendo adequadamente acompanhados por endocrinologista.

A intervenção nesta caso, chamada de “Cirurgia do Diabetes Tipo 2” ou “Cirurgia Metabólica”, resulta em remissão ou melhor controle do diabetes na maioria dos pacientes, observando redução ou suspensão dos medicamentos e níveis glicêmicos adequados a curto e médio prazo, independente da perda de peso.

A Cirurgia Metabólica foi aprovada por diversas sociedades internacionais como técnica cirúrgica eficaz no tratamento do Diabetes Mellitus tipo 2 refratário ao tratamento clínico, tendo sido reconhecida e autorizada pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) a partir de 2017.

Será que Você é um Candidato à Cirurgia Bariátrica?

Ok, você conferiu alguns tópicos breves sobre a cirurgia bariátrica, e viu uma explicação detalhada sobre a obesidade e a opção de Cirurgia Metabólica para os diabéticos.

Mas neste momento, você pode estar pensando: “será que sou um candidato a operar”, ou “será que posso me submeter a essa cirurgia”?

Na maioria das vezes, a indicação para cirurgia bariátrica gira em torno de:

  • IMC ≥ 40 Kg/m2 independente de ter ou não problemas de saúde relacionados;
  • IMC ≥ 35 Kg/m2 e associado a comorbidades relacionadas à obesidade, como diabetes tipo II, hipertensão, apneia do sono e outros distúrbios respiratórios, esteatose hepática, afecções ortopédicas, doença do refluxo gastroesofágico, síndrome dos ovários policísticos, insuficiência venosa periférica (varizes), etc.
  • IMC ≥ 30 Kg/m2 associado a diabetes mellitus tipo 2 de difícil controle clínicos.
  • Falha do tratamento conservador por pelo menos 2 anos, ou seja, incapacidade de alcançar uma perda de peso saudável e mantê-la, apresentando fácil reganho de peso.
  • Histórico de obesidade de no mínimo 5 anos.

Descubra o seu IMC ao final desta página. Mas antes, acompanhe abaixo outros questionamentos frequentes:

O Diabetes Tipo 2 Torna a Cirurgia Mais Arriscada?

O diabetes tipo 2 não contra-indica a cirurgia bariátrica. Ao contrário, é fator de indicação. Entretanto, deve estar adequadamente controlado no momento da cirurgia, o que reduz o risco de complicações pós-operatórias.

Certifique-se de seguir todas as instruções do seu endocrinologista e cirurgião sobre como gerenciar seu diabetes na época da cirurgia. Quase todo mundo com Diabetes Tipo 2 vê grande melhora ou mesmo completa remissão após a cirurgia. Alguns estudos relataram melhor controle  do Diabetes Tipo 1 após procedimentos bariátricos.

Tenho Problemas Cardíacos, Posso Operar?

Sim, mas você pode precisar da avaliação e preparo pré-operatório do seu cardiologista. Conforme mencionado anteriormente, a cirurgia bariátrica leva à remissão ou melhor controle da maioria dos problemas cardiovasculares, incluindo:

  • Hipertensão arterial sistêmica (Pressão alta);
  • Problemas lipídicos (Colesterol e triglicerídeos elevados);
  • Sobrecarga cardíaca (Aumento do coração, coração dilatado ou espessamento anormal);
  • Doença vascular periférica (arterial ou venosa).

Durante o processo de triagem, certifique-se de informar ao seu cirurgião sobre quaisquer problemas cardíacos que você tenha, sobretudo se estiver em uso de anticoagulantes, pois precisa de instruções especiais antes e depois da operação.

Como a Cirurgia Bariátrica Pode Te Ajudar?

Quando combinada com um plano de tratamento abrangente, que inclui o seguimento multidisciplinar, a cirurgia bariátrica se torna uma ferramenta importante para a perda de peso e melhora a sua qualidade de vida.

Frequentemente, os indivíduos que reduzem o peso tendem a consumir cada vez menos medicamentos para tratar condições relacionadas à obesidade.

Afinal, Como Funciona a Cirurgia Bariátrica?

As técnicas de cirurgia bariátrica, como a Gastroplastia Vertical com Bypass Gástrico, as Derivações biliopancreáticas, a Gastroplastia Sleeve e a Banda Gástrica Ajustável alteram a anatomia do trato gastrointestinal, resultando em alterações fisiológicas que favorecem o equilíbrio energético e o metabolismo.

A escolha da técnica deve ser individualizada para cada paciente, levando-se em conta exames complementares, histórico alimentar e problemas de saúde apresentados.

Um dos resultados dos procedimentos bariátricos é a modulação da produção de hormônios intestinais, causando a diminuição da fome e do apetite e aumentando a sensação de plenitude.

Independentemente de qual tipo de cirurgia bariátrica será eleita como a ideal para o seu caso, lembre-se que a cirurgia bariátrica é uma “ferramenta” cujo sucesso também depende de alguns fatores como nutrição, exercícios e mudanças de comportamento.

Agora, vamos dar uma olhada mais de perto nas diferenças da perda de peso de uma dieta restritiva, e o emagrecimento após cirurgia bariátrica:

Diferença entre Perda de Peso Cirúrgica e Perda de Peso Dietética:

Se você está lendo até aqui, certamente já fez várias dietas na vida, talvez sem o merecido sucesso.

O que ocorre é que, muitas vezes, o emagrecimento da dieta restritiva, se não associado a prática de atividade física, reduz o gasto energético a níveis muito baixos, diferente da perda de peso da bariátrica, que devido a mudanças hormonais, altera a saciedade, metabolismo e a composição corporal positivamente.

A cirurgia bariátrica melhora uma série de condições e ações biológicas para reverter a progressão da obesidade. Para você ter uma ideia, estudos constatam que mais de 80% dos pacientes bariátricos mantém o corpo magro, mesmo após ter perdido 50% ou mais de excesso de peso.

Além deste sucesso, aumento da longevidade, melhoria ou cura das doenças existentes, conheça outros benefícios da cirurgia bariátrica que você nem sabia!

Informações Importantes sobre a Cirurgia Bariátrica

Por último, mas não menos importante, vale lembrar que as sociedades americana e brasileira de cirurgia bariátrica e metabólica (ASMBS & SBCBM) recomendam que a intervenção seja realizada por um médico certificado, com experiência e treinamento especializado em cirurgia bariátrica e metabólica.

Quanto a isso, basta entrar em contato com um profissional confiável como o Cirurgião Bariátrico Dr. Rodrigo que também é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM).

Agende sua uma consulta e tire todas as dúvidas para marcar a sua cirurgia bariátrica, caso seja necessário.

☎(31) 99562-8411

☎(31) 3658-7923

📧contato@bariatricaemetabolicabh.com.br

💬Fale com o Dr. Rodrigo

Conteúdos relacionados