Cirurgia Bariátrica em Adolescentes

Cirurgia Bariátrica em Adolescentes

Numerosos trabalhos científicos tem demonstrado as vantagens do tratamento cirúrgico da obesidade não apenas nos adultos, como também nos adolescentes.

Pomp at al. demonstrou que a obesidade em adolescentes estaria independentemente associada com o aumento do risco de comorbidades graves pré-operatórias dos adultos que submetem-se a cirurgia bariátrica.  (The effect of obesity in adolescence on adult health status. Pediatrics. 2013 Dec; 132(6):1098-104).

Zwitschre at al. comprovou que a cirurgia bariátrica pode ser considerada com opção terapêutica para o tratamento da obesidade mórbida entre os adolescentes. O procedimento pode ser realizado com segurança, conforme evidenciado pelas suas baixas taxas de complicações. (The increasing incidence of adolescent bariatric surgery. J Pediatr Surg. 2013 Dec; 48(12):2401-7).

Estudo de Oberbach at al. concluiu que adolescentes obesos apresentam melhora considerável de suas comorbidades metabólicas após submeterem-se ao tratamento cirúrgico da obesidade. (Bariatric surgery in severely obesa adolescente improves major comorbidities including hiperuricemia. Metabolism. 2014 Feb;63(2):242-9).

Cozacov at al. avaliaram 18 pacientes com idade media de 17,5 anos tratados cirurgicamente entre 2002 e 2011. O seguimento pós-operatório mostrou que ambas as técnicas, “bypass gástrico em Y de Roux” e gastroplastia “sleeve”, são seguras e eficazes no tratamento de adolescentes obesos. (Mid-term Results of Laparoscopic Sleeve Gastrectomy and Roux-en-Y Gastric Bypass in Adolescent Pacients. Obes Surg. 2014 Jan 5).

Com base nestes e em vários outros trabalhos, conclui-se que a cirurgia bariátrica deve ser considerada como uma opção  segura e eficaz no arsenal terapêutico para o tratamento da obesidade em adolescentes. Ressalta-se que a obesidade, independente da idade do paciente, afeta não apenas a saúde física, mas também a mental e social. Neste ultimo caso, a reclusão social deste grupo de pacientes (adolescentes) pode ter repercussões negativas na vida adulta. O próprio Ministério da Saúde do Brasil reconhece esta condição, tendo reduzido a idade mínima para submeter-se ao procedimento bariátrico para 16 anos.